Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As dicas da Ba

Um blog 360º com dicas e sugestões para as diferentes áreas da vida.

Ateliers didáticos sobre Ciências para os mais pequenos

Ba 28.03.14

Durante o mês de Abril, o RioSul Shopping vai dinamizar os fins de semana com um conjunto de atividades de ciências gratuitas para os mais pequenos sob o mote: “os génios não se medem aos palmos”.

 

No primeiro fim de semana (5 e 6 de abril) haverá muitas brincadeiras com água! Aprender a pôr uma bola de plasticina e um berlinde a flutuar na água e, também, a criar uma bomba de gelo seco são algumas das experiências que irão marcar este primeiro momento de atividades.

 

“Saídos da Casca” será o tema que o Atelier do segundo fim de semana de abril (dias 12 e 13). Nestes dois dias, todas as crianças poderão aprender a colocar um ovo dentro de um copo, sem tocar no ovo e no copo. Outra das curiosidades deste Atelier será ensinar a colocar um ovo cozido dentro de uma garrafa, sem partir o ovo ou a garrafa.

 

O terceiro fim de semana de abril (dias 19 e 20) será dedicado aos desafios mágicos: aprender a criar um sólido, a partir de 3 líquidos, e a fazer desaparecer líquidos são alguns dos desafios que serão lançados aos mais pequenos para testar as suas capacidades experimentais. 

 

No último fim de semana (26 e 27 de abril), o Atelier de Ciências traz aos mais pequenos muitas curiosidades que se podem fazer com balões. Todas as crianças irão vestir batas brancas, tornando-se pequenos cientistas, e aprender a encher um balão sem soprar e furar um balão sem o rebentar.

 

Todas as atividades que constituem os Ateliers de Ciências são gratuitas e decorrem aos fins de semana, no RioSul Shopping, entre as 15h00 e as 19h00.

 

Fica a dica para um fim de semana diferente.

 

Acompanhe "As Dicas da Bá" no Facebook e Instagram.

Ao cuidado do Sr. Andreas Mölzer

Ba 28.03.14

Caro Sr. Andreas Mölzer,

 

Depois de hoje ter dormido três horas, porque tenho dois filhos pequenos que ainda me acordam bastantes vezes à noite, de me ter levantado às 6h30 da manhã, de ter vestido o mais velho, depois o mais novo, de ter dado o pequeno-almoço a um, o biberão a outro, de ainda em fato de treino levá-lo à escola, voltar a casa para me vestir enquanto o mais pequeno vai gatinhando e mexendo em tudo o que não deve, fazer três telefonemas, ir a "voar" para o trabalho, passar duas horas numa reunião, almoçar uma sandes porque não consegui ter tempo para mais, escrever não sei quantos textos, fechar a edição, vir para casa a correr para dar banho aos pequenos e dar-lhes o jantar, brincar com os miúdos e pô-los a dormir, enquanto vou respondendo a telefonemas e emails que não consigo evitar, eis que me sento no computador, para trabalhar mais um pouco - sim, no meu segundo e terceiro trabalhos (não sei se sabe o que é ter mais do que um trabalho pasa sustentar a família?!), abro o site do jornal, onde por acaso até trabalho, e deparo-me com uma notícia onde o sr. aparece a dizer que "os portugueses trabalham pouco". Que vocês, austríacos e alemães, são os únicos que "cumprem horários" e que "começam a trabalhar às nove em vez de às onze".

 

Pois bem, Sr. Mölzer, ao ler as suas palavras fiquei indignada. Sim, indignada, uma expressão que agora se utiliza por cá.  

 

Não sei se sabe, Sr. Mölzer, mas aqui em Portugal, de facto, as coisas até podem começar mais tarde, em termos de horários, mas digo-lhe uma coisa...ao contrário de vocês austríacos, e alemães (e sei do que falo porque tenho família alemã e família na Alemanha, duas coisas distintas. Ou seja, conheço a versão portuguesa e alemã) por cá ninguém está a dormir às 18h ou 19h. Muitos ainda estão no trabalho (aqueles que o têm) e não têm hora para sair, outros estão no trânsito a correr para ir buscar os filhos, outros também há que começam por essas horas. 

 

E sabe quanto trazemos para casa Sr. Mölzer? Muito menos do que qualquer um de vós, e temos as mesmas despesas, ou até talvez mais. Por aqui a vida não tem sido fácil nos últimos tempos Sr. Mölzer, mas claro que não sabe o que é ter de, muitas vezes, com menos de 500 euros ter de sustentar uma família. Sim, o ordenado mínimo não chega a 500 euros. Pois, o Sr. Mölzer não sabe o que isso é porque por aí a média ronda os 1600 euros. Sim, eu sei, as coisas são mais caras, mas serão assim tão mais caras que justifiquem a diferença? Experimente vir para cá com 500 euros e tente sustentar uma casa e depois diga-me se conseguiu passar da primeira semana.

 

Se olhar à volta, no seu país, veja bem quem lhe garante alguns serviços. Quando veste o seu fato, calça os seus sapatos, ou põe o seu cinto, veja bem onde foi fabricado. É que possivelmente, mesmo tendo uma marca qualquer bonita estrangeira, poderá ter sido feito em Portugal, por um daqueles portugueses que você acha que "não trabalham" ou que "só chega às 11h".

 

Os portugueses são reconhecidos em todo o mundo por serem bons trabalhadores, competentes e profissionais. Poderia falar-lhe de Ronaldo, Mourinho, António Horta Osório, Domitlía Santos, Carlos Tavares, e outros tantos profissionais nas mais variadas áreas que são verdadeiros embaixadores de Portugal e são os melhores naquilo que fazem, mas não. Falo-lhe do José, do Manuel, do João, da Maria, da Ana, da Joana, de tantos portugueses anónimos que todos os dias procuram superar-se no que fazem, que procuram ser os melhores no seu trabalho.

 

O Sr. Mölzer tentou ainda humilhar-nos, numa analogia entre altura e pequenez, dizendo que "todos se riem dos alemães e dos austríacos, dos portugueses aos [europeus] do Leste, dos suecos aos sicilianos, não se pode levá-los a sério, porque eles têm todos só um metro e sessenta". Pois bem, do alto do meu 1,77m (e sem saltos) digo-lhe: Não há povo tão grande, tão grandioso como o português.

 

Temos facilidade em adpatarmo-nos a outras culturas, línguas, formas de trabalhar. Recebemos no nosso país como poucos. Talvez tratemos até melhor os estrangeiros do que aos nossos próprios conterrâneos, sim, aí reconheço que temos de melhorar na união como povo.

 

Não lhe vou dar lições de história, porque calculo que tenha aprendido alguma coisa quando estudou história (como vem indicado no seu curriculum) e saiba da nação grandiosa que fomos. Sim, já fomos donos de metade do mundo. E vocês? Sim, descobrimos meio mundo e aventuramo-nos por mares nunca dantes navegados. E vocês?

  

Ah, é verdade, só para finalizar... fazer horário não significa produtividade. Pode-se produzir muito ou pouco no mesmo horário.

 

Enquanto portuguesa sei que temos muito de melhorar nesse campo. Mas numa altura em que passamos por uma austeridade sem precedentes, com aumentos de impostos, de preços, cortes de rendimentos, prestações sociais, desemprego elevado, situações sociais dificeis e até fome, vir alguém do alto do seu pedestal europeu, aponta-nos o dedo e dizer que "não trabalhamos", é algo Sr. Mölzer, que não admitimos. 

 

Isto de falar da "bancada" - uma coisa que até é costume mais nosso do que vosso - sem ter a experiência é muito fácil. Eu até o convidava a vir para Portugal e trocar com qualquer um de nós para saber o que é trabalhar, e trabalhar com alma, coração e sacrifício. Mas sabe Sr. Molzer, não lhe vou oferecer essa possibilidade, sabe porquê? Porque prefiro guardar esse lugar para um português, porque sei que trabalham melhor.

 

Deixo-lhe aqui um vídeo Sr. Mölzer para que possa ver algumas das coisas que as nossas empresas portuguesas, onde trabalham muitos portugueses, fazem. Acho que não conseguiríamos tais feitos se só entrassemos às 11h e não fizessemos nada. Pense nisso.

 

Cumprimentos,

Uma orgulhosa Portuguesa!

Gosto de pessoas felizes

Ba 22.03.14

Sou uma pessoa positiva por natureza e gosto de boas energias perto de mim. Procuro sempre transmitir a quem me rodeia energias positivas, mostrar o lado bom de determinado aspecto. Acredito que as coisas acontecem por um motivo que, muitas vezes, só o vamos conseguir ver mais à frente. É por isso, com alguma naturalidade que gosto de pessoas felizes, bem sucedidas e que irradiem boas energias.

 

Tenho assistido a muitos sucessos - pessoais e profissionais - de familiares, amigos, pessoas conhecidas, colegas e antigos colegas e digo-vos...fico tão contente que parece que aconteceu comigo. Gosto de partilhar essa felicidade, de dar os parabéns, de puxar para cima.

 

É fácil, ao longo da vida, encontrarmos pessoas que nos puxam para baixo, que destroem os nossos sonhos (ou tentam. Sim, façam-me um favor de não o permitirem!), que criticam de forma destrutiva, que invejam, que desejam mal... Dificil é quem faça o contrário. Eu gosto de o fazer! (também pode querer dizer que sou um pouco do contra LOL - não é verdade).

 

Já tinha escrito aqui um post sobre o elogiar (podem ler aqui). O que vos faço agora é de positivismo, é de não nos deixarmos influenciar por pessoas negativas. E acreditem que nos momentos mais difíceis, que todos temos pelos mais diversos motivos, é fácil pensarmos no pior. Mas nessa altura questionem-se: o que posso fazer para melhorar? O que ainda não fiz? Com quem posso falar? Às vezes basta desabafar com alguém que nos dá força para o mundo não parecer tão negro. Por vezes temos de relativizar algumas coisas, colocar os medos, angustias e ansiedades de lado e pensar (e fazer) positivo. 

  

Se eu já era assim antes, depois de um episódio que afectou a minha família em Junho do ano passado passei a sê-lo ainda mais. Foi diagnosticado à minha querida Leonor, com 4 anos, um tumor bi-lateral nos rins. A Nônô, como a chamamos carinhosamente em família, é filha da minha prima (que na prática é como um irmã para mim). Ela e o meu filho mais velho juntos eram capazes de nos partir a casa de tanta energia (ainda o são) e tem sido uma lição de vida.É por isso que nos consideramos "Aprendizes da Nôno".

 

Como devem calcular esta situação ensinou-se a relativizar muita coisa e a focarmo-nos no essencial. Quem tem acompanhado a história sabe que a minha prima Vanessa é uma grande mulher e que, ao contrário do que seria de esperar, mantém-se firme como uma rocha e positiva, assim como a Nôno. Eu e a Vanessa, entre os 10 primos, somos as mais parecidas (no melhor e no menos bom - não gosto de dizer no mau :) ) e ela também sido uma inspiração.

 

A boa disposição contagia-se, assim como as más energias. Por isso, se querem que a vossa via progrida, avance e seja risonha... riam mais, brinquem mais, desejem o melhor (mesmo a quem não gosta ve vocês). Acreditem que o universo vos retribuirá. E não há nada melhor.

 

Deixo-vos com uma frase de Pessoa que sempre gostei muito "Pedras no caminho? Guardo todas. Um dia vou contruir um castelo".

 

E como diria Raúl Solnado: "Façam o favor de ser felizes!"

Atenção! Dossel de criança....

Ba 22.03.14


A IKEA emitiu uma nota onde recomenda a quem tenha um dossel de criança em casa, e o tenha comprado no IKEA, para retirá-lo e entregar na loja que eles devolvem o dinheiro.

Apesar se não terem qualquer registo de problemas, a "IKEA identificou o risco de ferimento por entrelaçamento associado ao uso deste produto. A IKEA recebeu alguns relatórios de entrelaçamento quando esta rede é puxada para dentro dos berços/camas e se enreda à volta das crianças. Nenhum ferimento permanente foi reportado", refere.

Em causa estão os seguintes dosséis para camas de criança: LEGENDARISK, MINNEN, BARNSLIG BOLL, MINNEN Brodyr, HIMMEL, FABLER, TISSLA e KLÄMMIG.

Podem ler mais sobre a nota aqui.

Como cá em casa tenho um no quarto do mais pequeno, já vou retirá-lo e devolver numa loja IKEA. Reencaminhem esta mensagem para os vossos contactos. Todo o cuidado é sempre pouco.

Acompanhe "As Dicas da Bá" no Facebook e Instagram.

Moulinex lança robot multifunções "Cuisine Companion"

Ba 18.03.14

A Moulinex entrou no mundo dos robots multifinções com o lançamento do "Cuisine Companion" que, num só equipamento, permite cortar, preparar e cozinhar tudo, desde a entrada à sobremesa.

 

Com seis programas automáticos (molhos, sopas, cozedura lenta, vapor, massas e sobremesas), disponíveis num painel de controlo, o novo robot multifunções da Moulinex apresenta algumas características que lhe permitem distinguir da concorrência.

 

Entre as suas principais características diferenciadoras destacam-se:

  • A temperatura ajustável de 5 em 5 graus, desde 30º C até 130º C;
  • As 12 velocidades adaptadas às receitas, ingredientes e texturas pretendidas (2 velocidades intermitentes e 10 velocidades regulares);
  • A taça em inox de grande capacidade (total de 4,5 litros)
  • A tampa transparente com sistema patenteado de vapor, que permite um melhor acompanhamento da confeção dos pratos e regulação da quantidade de vapor.

 

Fabricado em França, o novo robot multifunções da Moulinex apresenta robustez e segurança, garantindo uma utilização sem trepidação.

 

O robot multifunções Cuisine Companion vem acompanhado por um livro de receitas inovador com 1 milhão de menus. O livro integra 100 sugestões para entradas, 100 para pratos principais e 100 para sobremesas, permitindo uma combinação inteligente e diferente, todos os dias do ano.

 

 

 

O Cuisine Companion vem ainda equipada com 6 acessórios:

  1. Lâmina picadora para triturar sopas, compotas e picar legumes, carne ou peixe;
  2. Lâmina de triturar/amassar para fazer massa para pão e bolos, triturar frutos secos e picar gelo;
  3. Acessório batedor para fazer claras em castelo, chantilly, maionese, molhos e cremes;
  4. Acessório misturador para fazer refogados, guisados e risotto;
  5. Cesto de cozedura a vapor em inox que permitir cozer legumes, peixe ou carne, tornam-se muito útil na confeção de sopa com pedaços;
  6. Espátula em silicone.

Tive oportunidade de estar presente na apresentação da Cuisine Companion da Moulinex e ver a Chef Susana Felicidade a preparar alguns pratos. Os acessórios pareceram-me fáceis de trocar e a máquina apresentou-se robusta e silenciosa.

 

O preço de venda ao público são 700 euros mas a Moulinex está a preparar uma forte campanha de prestações sem juros.

 

Para já, à semelhança do comparativo entre a Bimby e a Yammi que fiz (podem ler aqui) irei testar a Cuisine Companion e depois direi o que achei. Mas pelo que vi acredito que este robot dê que falar.

 

Acompanhe "As Dicas da Bá" no Facebook e Instagram.

Parque temático da Ferrari vai abrir no Portaventura

Ba 17.03.14


Os meus olhinhos até brilharam quando li a notícia: A Ferrari vai abrir um parque temático dentro do Parque Portaventura, em Espanha (Barcelona): a Ferrari Land.

Para quem não sabe eu sou completamente maluca por parques temáticos, sobretudo montanhas-russas. Quanto mais rápida, mais alta, com a maior queda, mais looping, torcidas e voltas...melhor! :) Já andei assim numas montanhas-russas bem catitas mas ainda há todo um lundo por explorar.

Juntar montanhas russas e automóveis, ainda para mais a Ferrari, é o céu. Ainda por cima mesmo aqui ao lado. Dá para juntar amigos e ir num passeio ou aproveitar uma promoção num voo e com pouco dinheiro dá para ir desanuviar um pouco.

Pronto, pronto, eu paro com o entusiasmo. Já vos estou a chatear, eu sei, desculpem :) Adiante... mas ainda vamos ter de esperar por 2016 (dá para ir juntando dinheiro).

Para já, o que se sabe é que que vai ocupar 75 mil metros quadrados, contará com um hotel de luxo de 5 estrelas com 250 quartos, restaurantes e lojas. A principal atração de Ferrari Land será a montanha-russa vertical mais alta e rápida da Europa (pronto, fiquei de novo entusiasmada e só me apetece carregar no acelerador do tempo para ir experimentar).

Deixo-vos aqui algumas imagens de animação de como será:









ERP Remember Cascais nos dias 13 e 14 de Junho

Ba 17.03.14

Cascais vai receber verdadeiras estrelas que marcaram a música dos anos 80. A terceira edição do festival ERP Remember Cascais (The Recycling Festival) vai decorrer a 13 e 14 de junho no Hipódromo Municipal Manuel Possolo, em Cascais.

 

No cartaz surgem Kim Wilde, Rick Astley, Billy Ocean, Bananarama, Lena d'Agua e Barry White Show (um espetáculo baseado no legado do homem da soul)

 

Vejam o vídeo de apresentação e digam lá se não viajaram no tempo...

 

Matrix Biolage Pelicure

Ba 15.03.14


Na sexta-feira fui experimentar um novo tratamento da Matrix: Biolage "Pelicure". Inspirador na manicure este tratamento "pelicure" não é mais do que uma "cura do cabelo". E acreditem que o meu estava em muito mau estado. Na correria do dia a dia nem sempre sobra muito tempo para cuidarmos do nosso cabelo mas, tal como as mãos, são o "nosso cartão de visita".

Além de ter lavado o cabelo com o shampô da linha depois fiz uma hidratação profunda em cada mecha de cabelo. Uma dica que a Carla me deu para quando aplicamos uma máscara é que devemos fazê-lo apenas com as nossas mãos. Separamos o cabelo em várias mechas e aplicamos de forma ritmada no destido descendente. Além de ajudar a hidratar melhor o cabelo depois quase que nem precisamos de utilizar uma escova ou pente para desembaraçar. E acreditem que o meu cabelo é difícil. E se conseguiu um resultado fantástico no meu cabelo então é porque é mesmo bom.

Quando cheguei tinha o cabelo super seco e quando saí estava sedoso e brilhante. Podem ver aqui:





Antes da hidratação (apenas tinha lavado) era este o estado do meu cabelo. Sim, tem caracóis, ondas, jeitos. Além disso, é muito fino mas tenho muito cabelo. Depois da hidrtação e brushing o resultado foi este:



Ficou óptimo. Estou só a precisar de cortar as pontas mas isso tenho de esperar que o meu cabeleireiro tenha agenda porque não é qualquer pessoa que põe a tesoura no meu cabelo (já tive alguns traumas no passado).

Para quem quiser saber mais deste tratamento deixo-vos aqui o vídeo:



Fica a dica.

Acompanhe "As Dicas da Bá" no Facebook e Instagram.

Pág. 1/2