Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As dicas da Ba

Um blog 360º com dicas e sugestões para as diferentes áreas da vida.

Sapatos. Em busca de números grandes...

Ba 03.06.13
Desde miúda que tenho um problema (vá, mais do que um, mas vou focar-me agora neste) calço muito para mulher. Num país em que a mulher se quer "pequenina como a Sardinha", eu estou mais na secção dos Robalos. 

O meu 1,77m (descalça, entenda-se) é suportado por uns meiguinhos 41. Um número que é mais comum entre os homens do que entre as mulheres. 

Já calçava o número 40 praí com uns 15 anos e cedo me habituei a comprar ténis na secção de homem e sapatos no estrangeiro. Havia umas poucas lojas que tinham estes números mas a oferta era muito reduzida. Cheguei a mandar fazer sapatos mas, na altura, era muito caro.

Muitas vezes pensei "mas as modelos são todas altas, que números calçam?". Tive a oportunidade, ainda em adolescente, de confrontar algumas modelos que calçavam tanto quanto eu e tinham uma boa quantidade de sapatos (e giros!). Percebi que ou os estilistas faziam uns números apenas para o desfile ou compravam lá fora.

Pensei em abrir uma loja só de números grandes de sapatos giros mas, aos poucos, algumas marcas começaram a ter mais números grandes e com mais frequência, e fui deixando a ideia de parte. A Zara, Bershka, Stradivarius e, mais tarde, Aldo e Zilian foram sempre as minhas grandes aliadas. Ainda assim a oferta é pouca.

Nas lojas há um exemplar apenas, o que faz com que todas as mulheres que, como eu, calçam muito, vão a correr comprar. Sim, eu normalmente só consigo comprar ou no início da colecção ou quase no final dos saldos (sendo que aqui é muito arriscado).

Sempre tive o mesmo discurso nas lojas (depois de eleger os sapatos que queria):

- Boa tarde. Tem estes sapatos em 41?
- Estes não.
- E aqueles ali ao fundo.
- Esses só se fazem até ao 39.
- Diga-me então afinal o que tem de 41...

E depois lá aparecem dois modelitos (normalmente os menos engraçados).

Com uma geração cada vez mais alta (parece que são alimentados a adubo), não se percebe que não se aposte em mais números grandes. Eu e mais umas quantas mulheres, e miúdas, agradecíamos.

Ainda bem que inventaram a internet. É uma maneira de conseguir comprar sapatos giros e até, muitas vezes, mais baratos. Eu até preferia comprar numa loja cá, mas com a oferta atual é difícil.

Se alguém souber se alguma loja com sapatos giros e que tenham mais que um exemplar 41, deixe aqui a dica.

Certamente que deve haver mais mulheres como eu a precisarem de dicas. Caso contrário, começo mesmo a ponderar em abrir uma loja.

Acompanhe "As Dicas da Bá" também no Facebook. Clique aqui e faça 'like' da página.

25 comentários

Comentar post

Pág. 1/3