Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As dicas da Ba

Um blog 360º com dicas e sugestões para as diferentes áreas da vida.

Comprometida com um peso saudável #1

Ba 02.02.17

Primeiro os filhos, o marido, a mãe, o pai, a avó, os amigos, o trabalho, os novos projetos...a lista poderia continuar e já quase não haveria tempo disponível no dia. Têm sido assim os últimos dias e semanas. Têm sido assim os últimos anos. Tudo primeiro e depois...eu. Aliás, vendo bem já nem consigo aparecer na lista. Claro que faço tudo o que gosto. Passeio (menos do que desejava, é verdade, mas faço-o), estou com a família, com os amigos, participo em vários projetos e, na verdade, sou muito feliz com tudo isto. Só que nos últimos anos talvez não tenha tido tempo para parar e perceber o que me aconteceu a mim, ao meu corpo e à minha saúde.

 

Sempre desculpei o meu peso com o facto de ser alta, ter uma estrutura e ossos largos (o que quer que isso seja), ser grande... mas a realidade nua e crua é uma: estou gorda! Sim, assim mesmo. Estou gorda! E não pensem que me sinto miserável. Na verdade, sempre gostei de mim e mesmo depois de ter engordado bastante nos últimos anos – e até podia não estar muito satisfeita com o corpo – não permiti que esse estado me impedisse de rir, de olhar para a vida de forma positiva.  Aprendi a disfarçar o que menos gostava ao espelho e fui camuflando os quilos.

 

Mas no final do ano passado houve um dia em a ficha caiu. Encontrei uma foto de há uns anos e que tinha um peso saudável. O choque foi maior quando olhei para uma foto tirada dias antes. Nem queria acreditar. Quem era aquela? De quem é aquele corpo? Como posso estar a enganar-me e achar que estou saudável com 26 quilos a mais. Foi aí que percebi que as dores nos joelhos não são só da alta competição de anos longínquos, mas do excesso de peso. Às vezes são precisos cliques destes. Naquele dia o sorriso esmoreceu um pouco. Fiquei triste comigo, fiquei triste por me ter esquecido de mim.

 

Uns dias depois mostrei a foto a uma amiga e desabafei que precisava de emagrecer. Expliquei-lhe que o meu problema é ter uma relação emocional com a comida. Basicamente, quando estou feliz, como. Quando estou triste, como. Quando estou stressada, como. E até quando estou bem, gosto de comer.

 

Essa amiga falou-me de um tratamento médico que ajuda as pessoas a emagrecer e que eu já tinha ouvido falar por alto. Por norma, eu desconfio de tudo o que é dieta. Ainda assim, perante a dura realidade dos números fui investigar do que se tratava. Li muito, pesquisei bastante e quando percebi que se tratava de um tratamento médico decidi ouvir um pouco mais. Afinal não é mais uma dieta louca. Há estudos científicos que a comprovam, suportam e demonstram a sua eficácia. Na realidade, nem todas as pessoas a podem fazer. É preciso ter o “ok” do médico. Foi assim que resolvi iniciar uma nova etapa com o tratamento da Pronokal.

 

Este tratamento tem como principal fator diferenciador haver um acompanhamento médico e de uma equipa multidisciplinar. Tudo começa por uma consulta médica e é esse médico que nos acompanha e prescreve a dieta. No meu caso, estou a ser acompanhada pela fantástica Dr.ª Katia Kuchler que tem sido incansável. Respondeu a todas as minhas perguntas e dúvidas (e acreditem que foram muitas) e acalmou todos os meus receios. Mandou-me fazer um check up completo. Ele foram exames, análises, falámos da minha relação com a comida, quis saber se tomo medicamentos, tudo mesmo. E só depois de receber os resultados todos é que me deu a luz verde para avançar.

 

Passei para a nutricionista Ana Rita Santos que me esteve ajudar a planear as refeições, a indicar os alimentos que posso comer, as quantidades e a ensinar-me vários truques para me sentir bem. E tenho ainda um personal trainer que me vai acompanhar. Agora já não há desculpas: o exercício físico vai voltar a fazer parte da minha vida. Confesso que até estou animada com essa parte, até porque sei que mais do que ajudar o corpo, o exercício ajuda-me na mente.

 

Por fim, a equipa multidisciplinar conta também com profissionais de coaching que me vão ajudar a manter focada. Acreditem que isto faz toda a diferença. Normalmente, quando iniciamos uma caminhada destas – e quem já tentou várias dietas sabe do que falo – nem sempre é fácil conseguir manter o foco, até porque há muitas tentações.  Há um lado emocional que tem de ser trabalhado, até porque foi esse lado que me conduziu ao estado atual. Claramente este é um processo de dentro para fora. Mais do que um corpo mais bonito, o que quero é ter uma saúde melhor. Quero ver os meus filhos crescerem e poder acompanhá-los nas futeboladas (sim, porque sou mulher que gosta e dar uns chutos na bola).

 

Agora que começo o meu tratamento, espero que este seja um início de um novo ciclo na minha vida. Chegou o meu tempo. Chegou o tempo de investir e cuidar de mim. Vamos a isso. Let the games begin!

Ba_02.02.17jpg.jpg

20 comentários

Comentar post