Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As dicas da Ba

Um blog 360º com dicas e sugestões para as diferentes áreas da vida.

Cuisine Companion vs Bimby

Ba 02.09.14
 

Aqui está o texto que tanto aguardavam. Vou deixar-vos aqui o verdadeiro teste comparativo entre a Cuisine Companion, da Moulinex, e a Bimby.

 

Para começar, como sempre, a minha declaração: Eu tenho uma Bimby! A minha querida Bimby mora comigo há 4 anos e somos muito felizes. Já faz parte da família e não me imagino sem a minha querida amiga. Costumo dizer que cá em casa a família são 4 mais a Bimby :)

 

Para quem leu o teste compativo que fiz há cerca de um ano com a máquina do Continente – Yämmi - sabe que sou uma utilizadora frequente da minha Bimby. (Podem ler aqui Yämmi vs Bimby e também o teste comparativo Chef Express vs Bimby)

 

Pois bem, estive no lançamento da Cuisine Companion há uns meses e, do que tive oportunidade de ver, na altura, surpreeendeu-me bastante. A verdade é que, aqui entre nós, desde que conheço a Bimby tudo o que tem surgido parece não ser suficientemente bom. Está bem que a Bimby é cara, ninguém o nega, mas compensa o investimento, na minha óptica (que antes de a ter era completamente céptica e achava que era para quem não sabia cozinhar) e é um robot de cozinha funcional, bem pensado e construído.

 

Mas continuando… saí da apresentação bastante surpreeendida. Ainda assim tinha de experimentar. A Cuisine Companion veio fazer uma visita de 15 dias ao lar da Bá :) (A Bimby ficou meio ciumenta). Pu-las lado a lado e disse para a Cuisine Companion: “Querida CC, tens a fasquia muito alta. Sei que vens de uma marca que tem uma longa tradição na cozinha (eu tenho uma batedeira e espremedor de sumo da Moulinex a funcionar, e que uso, com mais de 30 anos)… agora mostra o que vales!”

 

E assim foi. Durante 15 dias as duas conviveram lado a lado. Ele foram sopas, pratos principais, sobremesas, molhos, acompanhamentos…tudo o que faço habitualmente cá em casa. 

 

Há semelhanças mas há também diferenças claras. Como sempre, vou organizar por tópicos.

 

Teste comparativo:

 

Lâminas - A Cuisine Companion tem duas lâminas: lâmina picadora, lâmina para triturar; a Bimby tem apenas uma lâmina. Para quem tem Bimby esta é, de facto uma grande vantagem. A mesma lâmina é utilizada para todas as ocasiões sem necessidade de trocar. No caso da Cuisine Companion, por vezes, é necessário mudar a lâmina. No entanto, ao contrário do que pensava, é muito fácil. Como as peças são de encaixe (não é necessário desmontar o copo, como na Bimby, para se retirar a lâmina) a troca não dá trabalho, nem causa incómodo.

 

Acessórios para bater - A Cuisine Companion tem um acessório batedor e um acessório misturador; a Bimby tem apenas um acessório batedor, conhecido como “borboleta”. Nesta caso, o acessório misturador na máquina da Moulinex serve para fazer o que a lâmina da Bimby faz na função de espiga ou colher invertida. Aqui, a vantagem é para a Bimby pela questão prática de não ter de mudar para o acessório misturador.

 

Balança - A Cuisine Companion não tem balança incorporada mas traz à parte uma balança digital; a Bimby tem balança incorporada. Quando se está a seguir uma receita, sobretudo bolos, dá muito jeito ir pesando à medida que vamos fazendo. Basta carregarmos no símbolo e ela fica a zero para medir novamente e colocarmos novo ingrediente. Assim não tenho de sujar um recipiente à parte só para medir. Quem tem a Cuisine Companion terá de retirar a taça e colocar em cima da balança.

 

Capacidade da taça/copo de mistura- A Cuisine Companion tem uma capacidade de taça de 4,5 litros, ainda que o recomendável seja 2,5 litros; a Bimby tem uma capacidade de 2 litros. A verdade é que, algumas vezes, excedi os 2,5 litros na Cuisine Companion, sobretudo para fazer sopas, e portou-se bem. Mesmo que, em termos úteis, 0,5 litros possa parecer pouco, a verdade é para quem cozinha com frequência faz toda a diferença. Para mim, este é um ponto positivo da Cuisine Companion em relação à Bimby.

 

Copo medidor - A Cuisine Companion não tem copo medidor, tem antes uma tampa de vapor, patenteada, em que é possível ajustar a quantidade de vapor que queremos que saia; a Bimby tem um copo medidor, que dá bastante jeito para medir, como o nome indica mas a tapa, como não fecha, a temperaturas elevadas o copo salta. Eu sei que não é suposto fechar, caso contrário a pressão levaria a que rebentasse, e serve mesmo a libertar a pressão. Mas, neste caso, gostei mais do sistema da Cuisine Companion. Parece-me inclusivamente mais seguro e não há cá salpicos quando estou a triturar a sopa que está a 100 graus.

 

Cozinhar a vapor- A Cuisine Companion vem com um cesto para cozinhar a vapor dentro da própria máquina; a Bimby tem uma Varoma, que é um acessório que se coloca por cima da tampa tradicional (sem o copo medidor, ou seja, o bocal aberto para sair o vapor, e coloca-se os tabuleiros em cima. Aqui o sistema da Cuisine Companion é melhor e mais prático. Muitas vezes não cozinho a vapor na Bimby pela trabalheira que dá montar todos os acessório que compõe a varoma, além de que confesso que, como já tinha dito num comparativo anterior, a distribuição do vapor através da Varoma não me parece muito eficaz.

 

Ajuste de temperatura  - A Cuisine Companion permite um ajustamento da temperatura com um intervalo de 5 graus a partir dos 30º; a Bimby salta em diferentes temperaturas e a mais baixa começa nos 37º (37º, 50º, 60º, 70º, 80º, 90º e 100º). Aqui a vantagem da Cuisine Companion é enorme. Tal como foi referido na apresentação a que assisti feita por uma Chef de cozinha, por vezes, alguns cozinhados exigem temperaturas muito específicas e a precisão de poder ajustar de 5 em 5 graus é claramente uma vantagem.

 

Temperatura máxima - A Cuisine Companion tem uma temperatura máxima de 120º; a Bimby tem uma temperatura máxima de 100º. A Cuisine Companion é melhor neste ponto. Permitindo cozinhar a uma temperatura maior é possível chegar a um ponto caramelo ou mesmo fazer melhores refogados. Por exemplo, muitas vezes dou por mim em alguns cozinhados a terminar a comida no tacho para conseguir reduzir o molho porque parece que na Bimby a água é difícil de evaporar e os molhos saem um pouco “águados”.

 

Velocidade - A Cuisine Companion tem 12 velocidades, o pulse e o turbo; a Bimby tem 10 velocidades e o turbo. Aqui, em termos práticos, a performance é praticamente idêntica. Até porque as primeira duas velocidades da Cuisine Companion servem praticamente para misturar. Aliás, mesmo com a lâmina se cozinhar na velocidade 1 ou 2 é possível fazer a função de misturar. Diria que a velocidade 12 da Cuisine Companion equivale à 10 da Bimby. O Turbo é idêntico nas duas. O Pulse acaba por ser um turbo com cadência, ou seja, como um pulsar.

 

Tampa- A Cuisine Companion tem uma tampa transparente que permite ir vendo os cozinhados; a Bimby tem uma tampa opaca e só é possível espreitar pelo bocal, retirando o copo. Também aqui a solução encontrada pela Moulinex para a Cuisine Companion parece-me mais prática.

 

Função espiga - A Cuisine Companion não dispõe da função espiga. Para cumprir essa função tem de se colocar o acessório misturador; a Bimby tem esta função sobretudo para massas de fazer pão e não só. Esta é de facto uma função muito útil. Para quem queira, por exemplo, fazer uma massa de rissóis nota que na Bimby fica um bolinha direitinha. Na Cuisine Companion também fica, mas tem de se colocar o acessório.

 

Colher invertida – A Cuisine Companion não tem esta função; a Bimby dispõe desta função e é o que lhe permite ter apenas uma lâmina. Para cozinhar, e quem está habituado, é bastante útil. Aqui, uma vez mais, na Cuisine Companion tem de se colocar um acessório misturador.

 

Programas automáticos – A Cuisine Companion tem seis programas automáticos (molhos, sopas, cozedura lenta, vapor, massas e sobremesas) que permitem um acesso direto apenas com um clique, sem necessidade de definir tempo, temperatura ou velocidade. Já está tudo pré-programado; a Bimby não dispõe desta funcionalidade. A função de programa automático é muito útil sobretudo para aqueles cozinhados que fazemos habitualmente. Além disso, mesmo estando pré-programado, é possível ajustar se quisermos mais temperatura ou tempo. Para mim foi muito útil para fazer sopas para os miúdos. Foi só colocar os ingredientes e clicar no programa sopa. Automaticamente ele escolhe a temperatura, tempo e velocidade.

 

Estabilidade - A Cuisine Companion é muito estável. Praticamente, não treme, não abana, mesmo na velocidade 12; a Bimby é um pouco instável, sobretudo quando estamos numa velocidade muito elevada. E mesmo que eu avance gradualmente, a minha Bimby treme cá de uma maneira que (tal como já tinha dito), por vezes tive receio de ter de a ir buscar ao vizinho. 

 

Ruído- A Cuisine Companion é super silenciosa; a Bimby é bastante barulhenta. O ruído é uma enorme diferença. O meu melhor barómetro é o meu filho mais novo. Fiz a experiência com ambas. Na velocidade 12 da Cuisine Companion o som parece equivaler a uma velocidade 4 na Bimby. O meu filho nem estranhou e continuou a brincar. Já quando pomos a Bimby na velocidade 10 tenho de o tirar da cozinha porque ele assusta-se e desata num berreiro. Aqui o filho dá a pontuação máxima à Cuisine Companion.

 

Acessórios – A Cuisine Companion vem com: cesto para cozinhar, espátula, lâmina trituradora, lâmina picadora, acessório batedor, acessório misturador, balança e livro de receitas; a Bimby vem com: cesto para cozinhar, acessórios da Varoma, acessório misturador (borboleta) espátula, copo de medição e livro de receitas.

 

Preço - A Cuisine Companion custa 699 euros; a Bimby 966 euros.

 

E pronto, em traços gerais são estas as principais diferenças. Como podem ver há prós e contras tanto para a Cuisine Companion como para a Bimby.

 

Em termos de materiais a qualidade é idêntica, assim como a construção e solidez das máquinas são ambas boas.

 

E agora querem a minha opinião? Nem eu queria acreditar. Se eu não tivesse Bimby (ai que a minha amiga vai ficar sentida), se fosse hoje, depois de avaliar tudo… eu comprava a Cuisine Companion da Moulinex. Cá em casa ficámos rendidos (o que nunca pensei, tendo eu a Bimby como “fasquia”).  Esta é a minha análise, da minha experiência com as duas máquinas.

 

O que procurei, como sempre, foi ser o mais detalhada possível em todos os pormenores que encontrei e que me pareceram relevantes. Espero ter-vos ajudado e, já agora, se houver por aí fãs da Cuisine Companion e da Bimby partilhem também as vossas dicas, sugestões e experiências. 

45 comentários

Comentar post

Pág. 1/3